Declaração de Fé

DOUTRINA

A declaração de fé da Quadrangular apresenta a doutrina básica da igreja, e foi esboçada por sua fundadora, Aimée Semple McPherson. Segue abaixo uma versão resumida

As Escrituras Sagradas
Acreditamos que a Bíblia é a Palavra inspirada por Deus: verdadeiro, imutável, constante e eternamente Deus (2 Timóteo 3:16,17).

Um Deus eterno
Acreditamos que Deus é trino: Pai, Filho e Espírito Santo; os três são coexistentes, coeternos e iguais na perfeição divina (1 João 5:7).

A queda do Homem
Acreditamos que o Homem, criado à imagem e semelhança de Deus, caiu no pecado e na iniqüidade por desobediência voluntária. Isso fez cair sobre toda a humanidade a herança da natureza desse pecado e suas conseqüências, acompanhada da perda do nosso significado e do propósito de nossas vidas pretendido inicialmente por Deus (Gêneses 1:27; Romanos 5:12).

O plano da salvação
Acreditamos que, mesmo sendo pecadores, Jesus Cristo morreu e se sacrificou por nós, tomou o nosso lugar, e com o Seu sangue comprou o perdão para todos aqueles que n’Ele crêem (João 3:16; Tito 2:14).

A Salvação pela graça
Acreditamos que a salvação é completa e concedida apenas pela graça, pois receber o amor e o favor de Deus não depende de retidão ou mérito humano algum (Efésios 2:8).

Arrependimento e aceitação
Acreditamos que arrepender-se verdadeiramente e aceitar a Jesus de forma sincera, torna-nos justificados diante de Deus por meio do sacrifício de Cristo (Romanos 10:6-10; 1 João 1:9).

O novo nascimento
Acreditamos que a mudança de vida após a conversão é real e notória; que o fato de ter recebido a Cristo e ao Seu Espírito trará retidão, novos anseios, novos interesses, e também novas perseguições na vida (2 Coríntios 5:17; Gálatas 2:20).

Vida cristã
Acreditamos ser da vontade de Deus que aqueles nasceram de novo cresçam em santificação, compartilhem da Sua santidade e diariamente estejam mais fortes na fé, no poder, na oração, no amor e no serviço (2 Coríntios 7:1).

O Batismo nas águas e a Ceia do Senhor
Acreditamos que o batismo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo é resposta essencial ao mandamento de Jesus, respeitando a Sua autoridade como Cristo e como Rei (Romanos 6:4). Acreditamos também na observância da Ceia do Senhor, pela qual recebemos o pão e o fruto da videira com alegria e fé, a fim de compartilhar constantemente da vida e do triunfo de Cristo sobre a cruz (1 Coríntios 11:24-26).

O batismo com o Espírito Santo
Acreditamos que o batismo com o Espírito Santo dá autoridade aos cristãos para exaltarem a Jesus, para viverem uma vida de santidade e para serem testemunhas da salvação pela graça de Deus; Cremos que ainda hoje a atuação do Espírito Santo ocorre da mesma maneira que ocorria sobre os cristãos da igreja primitiva (Atos 1:5,8; 2:4).

Uma vida cheia do Espírito
Acreditamos que é da vontade de Deus que os cristãos andem em Espírito constantemente, servindo ao Senhor e vivendo uma vida de paciência, de amor, de verdade, de sinceridade e de oração (Efésios 4:30-32; Gálatas5:16,25).

Dons e frutos do Espírito
Acreditamos que o Espírito Santo distribui dons de ministérios sobre os cristãos, e que estes dons enriquecem o corpo de Cristo com edificação e evangelismo (1 Coríntios 12:1-11); mas para se ter uma vida cheia do Espírito, o cristão deve praticar os “frutos do Espírito”: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança (Gálatas 5:22-25).

Moderação
Acreditamos que a moderação dos cristãos deve ser óbvia a outros e que o nosso relacionamento com Jesus nunca deve conduzir pessoas a fanatismos extremos; suas vidas devem ter como modelo a vida de Cristo em retidão, em equilíbrio, em humildade, e em sacrifício próprio (Colossenses 3:12,13; Filipenses 4:5).

Cura divina
Acreditamos que a cura divina é a manifestação do poder de Jesus em curar doentes como uma resposta de oração e de fé; Ele, como um Deus imutável, ainda hoje tem o poder de curar o corpo, a alma e o espírito em resposta da fé do cristão (Marcos 16:17,18; Tiago 5:14-16).

A segunda vinda de Cristo
Acreditamos que a segunda vinda de Cristo é real, pessoal e iminente; a certeza da Sua vinda e o fato de que ninguém sabe o dia ou a hora do Seu retorno são os fatores que justificam nossos esforços de evangelização em massa; que o Senhor, em pessoa, descerá do céu, os mortos em Cristo se levantarão e os remidos serão elevados para encontrar o Senhor nas nuvens (Mateus 24:36,42,44; 1 Tessalonicenses 4:16,17).

Comunhão na igreja
Acreditamos que é nosso dever sagrado tornar-se parte de uma congregação de cristãos, com os quais podemos adorar a Deus em unidade e comunhão, observar as ordenanças de Cristo, exortar e apoiar uns aos outros, colaborar com a salvação de outros e trabalhar juntos para promover o avanço do reino de Deus (Atos 16:5; Hebreus 10:24).

A autoridade civil
Acreditamos que a autoridade civil é composta por homens nomeados pela vontade permissiva de Deus e que os direitos civis devem ser respeitados em todas as suas formas, exceto naquilo que, eventualmente, passar a contrariar os preceitos de Deus descritos na Bíblia Sagrada (Atos 4:18-20; Romanos 13:1-5).

O dia do Juízo
Acreditamos que um dia todos os homens que existiram, existem ou venham a existir estarão diante do trono de Cristo para o juízo final: aos remidos será dada a vida eterna e aos não-arrependidos a punição eterna (Apocalipse 20:11,12; 2 Coríntios 5:10).

Céu
Acreditamos que o Céu é a gloriosa habitação do Deus vivo e o lar eterno dos cristãos renascidos (João 14:2; Apocalipse 7:15-17).

Inferno
Acreditamos que o inferno é um lugar de trevas, da mais profunda amargura, do fogo que não se apaga, lugar que não foi originalmente preparado para o homem, mas para satanás e seus anjos; contudo, deverá ser transformado no lugar que separará o eterno Deus de todo aquele que rejeita a Cristo como Salvador (Mateus 13:41,42; Apocalipse 10:10,15).

Evangelismo
Acreditamos que “ganhar almas” é o grande alvo da igreja na Terra, e que todo obstáculo à evangelização mundial deve ser removido (Tiago 5:20; Marcos 16:15).

Dízimos e ofertas
Acreditamos que os dízimos e as ofertas são ordenanças de Deus para a sustentação do Seu ministério, disseminação do evangelho e liberação de bênçãos específicas (Malaquias 3:10; 1 Coríntios 16:1,2).

VALORES

Valores centrais da vida cristã, da missão e da visão Quadrangular.

Adoração Cristocêntrica

  • Prioridade à adoração espontânea com alegria, honrando o Pai, o Filho e o Espírito Santo em exaltação da vida e do amor do nosso Senhor Jesus Cristo (Romanos 11:36; 12:1-2).
  • Crença em Jesus como o Filho de Deus nascido de uma virgem, em Sua vida sem pecado e na Sua morte e ressurreição literais, por meio das quais se dá a salvação (Atos 4:12).
  • Pregação baseada na graça e no ensino ministerial de Cristo, que deve estar enraizada na autoridade da Palavra eterna de Deus, que é a Bíblia Sagrada (2 Timóteo 3:16).

Saúde da igreja e equilíbrio bíblico

  • Prioridade para um estilo de vida de alegria e esperança, tanto no lado pessoal como no da igreja, assim como Jesus Cristo e Seu reino são descritos nas passagens de João 10:10 e Romanos 14:17 e 15:13.
  • Estímulo da criatividade pessoal e de ministérios que disseminam o evangelho para que percebam necessidades humanas e multipliquem ministérios de novos convertidos (Filipenses 1:9-11).
  • Respeito da expressão das emoções com ordem e decência na adoração, obediência à Bíblia Sagrada no estilo de vida, uso e prática de liberdade, sabedoria e caridade em todas as coisas (1 Coríntios 13:13; 14:40).
  • Apoio a todos aqueles que amam a Cristo, seguindo à risca o senso de missão e valores, afirmando a igreja inteira, mesmo além de nossas fronteiras (Filipenses 2:1-10).

Discipulado cheio do Espírito

  • Prioridade ao plano apostólico de discipulado, como descrito em Atos 8:14-17; 19:1-6, convocando cristãos a serem cheios do Espírito Santo e praticarem Seus frutos.
  • Reconhecimento de ministérios distintos e como dons do Espírito Santo, sendo instruídos a como ministrar sob Seu poder para a glória de Deus (1 Coríntios 12-14).
  • Confiança na oração de fé, na intercessão e a guerra espiritual com a permissão e o discernimento do Espírito Santo, como em Efésios 6:10-20 e 1 Timóteo 2:1-6.

Evangelismo global

  • Prioridade às convicções apostólicas descritas em 2 Coríntios 5:14,15, que constrangem os cristãos, por meio do amor de Cristo, a saberem que almas são eternas, estão sob risco e podem ser salvas única e exclusivamente pela graça de Deus.
  • Empenho pelo chamado da obra no mundo todo e pelo evangelismo interdenominacional, proclamando a todos que Jesus Cristo é o Salvador, o Batizador com o Espírito Santo, o Médico dos médicos e o Rei que há de vir (Atos 20:27).

Ensinamento e ministérios

  • Prioridade para a abertura de igrejas, chamadas embrionárias, como descrito em Atos 9:31 e em Efésios 3:14-19; os cristãos dessas igrejas crescem, consolidam-se e equipam-se em favor do ministério.
  • Valorização do ministério de cada membro, como em 1 Coríntios 12:12-27; já que é da vontade de Cristo que Sua igreja seja a evidência viva de Seu amor e poder ao mundo.
  • Honra ao chamado do Espírito Santo e aos dons dados a líderes da igreja, sob aprovação e autoridade de Jesus Cristo, independentemente da idade, do gênero ou da afiliação étnica (Atos 2:17-18).

Consciência social

  • Prioridade ao Evangelho de Jesus Cristo como plano do poder de Deus para a salvação da humanidade, o que permite criar vínculos de piedade, justiça e de cura do ser humano (Mateus 5:13-16).
  • Valorização total da santidade da vida humana, da instituição familiar do casamento e da moral descritas na Bíblia, e das diversidades étnicas (Isaías 56:7; Filipenses 2:15-16).
  • Aceitação à importância atemporal do antigo povo de Israel para Deus, rejeitando o antissemitismo e a discriminação étnica em todas as suas formas (Romanos 11:11-27; Atos 17:26).

DENOMINAÇÃO

Quadrangular é um termo bíblico usado para o Tabernáculo, no livro de Êxodo; para o Templo do Senhor, em Ezequiel 40:47; e para o Céu, no livro de Apocalipse. O termo “Evangelho Quadrangular” foi dado à fundadora Aimée Semple McPherson em inspiração pelo avivamento, durante uma campanha evangelística em Oakland, Califórnia, no ano de 1922. “Evangelho Quadrangular” representa aquilo que é igualmente equilibrado por todos os lados, estabelecido e resistente. Tal confiança no poder do evangelho é expressa em Hebreus 13:8, o que é apresentado nas igrejas quadrangulares como “Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e será eternamente”.

O termo ainda representa os 4 pilares do ministério de Jesus na Terra:


O Salvador

“Mas Ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele; e pelas Suas pisaduras, fomos sarados.” Isaías 53:5 (Tito 2:14; Isaías 55:7; 1:18; Hebreus 7:25).


O Médico dos médicos

“… Ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e levou as nossas doenças.” Mateus 8:17 (Marcos 16:17,18; Mateus 9:5,6; Atos 4:29,30).


O Batizador com o Espírito Santo

“Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias… Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra.” Atos 1:5,8 (João 14:16,17; Atos 2:4; 8:17; 10:44-46; 1 Cor 3:16).


O Rei que há de vir

“Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro… Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.” 1 Tessalonicenses 4:16,17 (Tito 2:12,13; Mateus 24:36-44, Hebreus 9:28; Lucas 19:13; 12:35-37).

VISÃO

A visão da Igreja do Evangelho Quadrangular é apresentar Jesus Cristo, o filho de Deus, como o Salvador, o Batizador com o Espírito Santo, o Médico dos médicos e o Rei que há de vir. Desde a fundação da igreja, em 1923, essa visão foi praticada por meio da evangelização e do estabelecimento de assembléias locais nos EUA e no exterior. Por conta disso, deu-se início a consolidação e a formação de líderes em todos os níveis da vida cristã, em colaboração com outros membros do corpo de Cristo para aprendizagem e conhecimento bíblico, a fim de que seja vivido o mandamento bíblico de sermos “sal” da Terra e “luz” do mundo.

 

SIMBOLOGIA

Quatro Cores

logo_ieq-1234

Vermelha
Tipifica o sangue de Cristo que foi derramado na cruz, a fim de nos dar a Salvação.

Amarela
Tipifica o batismo com o Espírito Santo.

Azul
Tipifica a cura divina.

Roxa
Tipifica a volta de Jesus como Rei.

QUATRO ROSTOS

rostos

Rosto de Homem
Representa Jesus Cristo, filho do homem, como o Salvador que foi sacrificado por toda a humanidade.

Rosto de Leão
Representa Jesus Cristo como o Batizador com o Espírito Santo. A figura tipifica força e poder.

Rosto de Boi
Representa Jesus Cristo como aquele que suporta cargas e fardos, e que veio à Terra para levar sobre si toda a carga de pecados, vergonhas e doenças humanas.

Rosto de Águia
Representa Jesus Cristo como o Rei que há de vir, assim como a águia é reconhecida como a rainha das aves.

QUATRO SÍMBOLOS

Cruz
icon_cruz Simboliza a morte de Cristo em sacrifício pela nossa salvação.
Cálice
icon_calice Simboliza a cura divina
Pomba
icon_pomba Simboliza o batismo com o Espírito Santo
Coroa
icon_coroa Simboliza a volta de Cristo para reinar eternamente

QUATRO EVANGELHOS DO NOVO TESTAMENTO

Lucas

Este livro foi escrito para os gregos, povo cujo ideal era alcançar a perfeição humana. Por isso, Lucas apresenta Jesus como filho de homem, homem perfeito de corpo, alma e espírito, que veio para buscar o que se havia perdido.

Marcos

Este livro foi escrito para os romanos, povo patriota que se orgulhava do próprio poderio militar e de servir aos seus superiores. Assim, Marcos apresenta Jesus como servo diante de Deus para tomar sobre si as nossas dores.

João

Este livro foi escrito para todos os cristãos e apresenta Jesus como o filho do Deus Altíssimo, como o único que pode batizar com o Espírito Santo.

Mateus

Este livro foi escrito para os hebreus, povo que esperava pela promessa de que o Messias viria para reinar eternamente. Por esse motivo, Mateus apresenta Jesus como o Rei que há de vir para buscar a Sua igreja.

BANDEIRA

bandeira

HINO

A música e a letra do Hino Quadrangular são de autoria da fundadora da igreja, Aimée Semple McPherson. A tradução da letra foi feita por um dos pastores do início da obra no Brasil. A história do Hino conta com duas curiosidades: Ele foi publicado em 1955, só a partir da quarta edição do hinário oficial da Cruzada Nacional de Evangelização, departamento da IEQ entre os anos de 1952 e 1954. Na primeira tradução, constava a palavra “tendas” na segunda estrofe do hino. Recentemente, a palavra “tendas” foi substituída por “templos”.

Verso 1
Eia, salvos, avançai
Nada de temer
Vamos firmes batalhar
Prontos pra vencer
Vai conosco, ó General
Nosso bom Jesus
Ele nos dará vitória pela cruz

Refrão
Avante, pois, e sem parar
O Evangelho anunciar
O Evangelho Quadrangular
De Deus o nosso eterno Pai
Pois Cristo salva, o pecador
Para que seja um bom cristão
Cura, também, a sua dor
Qualquer doença e aflição
Com Seu poder quer batizar
Do céu virá pra nos levar
E com Ele nós havemos sempre de reinar

Verso 2
Vamos templos levantar
Por todo o Brasil
A pregar sem descansar
Nosso Rei gentil
Vamos missionários ser
Todos, todos nós
Transmitindo com prazer de Deus a voz

A partitura abaixo é uma das cópias mais antigas que se conhece.

partitura1 partitura2 hino

MISSÃO

A Igreja do Evangelho Quadrangular existe para glorificar a Deus e promover o crescimento do Seu reino. O mandamento de Jesus Cristo é levar o evangelho e fazer discípulos em todas as nações (Marcos 16:15; Mateus 28:19). Conseqüentemente, nós estamos “dedicados à causa do evangelismo interdenominacional e mundial”*. Estas palavras expressam o nosso espírito e o nosso foco.

O chamado Quadrangular é pregar Jesus Cristo, o filho de Deus, como o Salvador, o Batizador com o Espírito Santo, o Médico dos Médicos e o Rei que há de vir. Como atribuição, temos: desenvolver igrejas saudáveis, que venham crescer, plantar igrejas ao redor do mundo conduzidas por servos de Cristo. Certamente, as igrejas que se desenvolverem desse modo reproduzirão cada vez mais; e isso é que fará com que o evangelho seja propagado àqueles que ainda não ouviram ou não aceitaram a mensagem do filho de Deus.

( * ) A declaração está na pedra angular do Angelus Temple, a primeira igreja Quadrangular, inaugurada em 1 de janeiro de 1923.

ESTRATÉGIA

A estratégia da Quadrangular é seguir o padrão de desenvolvimento da igreja encontrado no Novo Testamento. O Espírito Santo conduziu a igreja primitiva neste desenvolvimento. Esse padrão tem quatro estágios, que nos ajudam a compreender em que fase estamos no processo do desenvolvimento e qual é o nosso próximo passo. Cada estágio tem sua diferença, mas todos eles se conectam.

Estágio 1: Embrionário
A fase inicial da igreja está no momento em que os servos de Deus trouxerem almas a uma nova assembléia local implantada. O objetivo é fazer com que os novos discípulos sejam ensinados, consolidados e evangelizem outros a fim de se multiplicarem. A igreja em Tessalônica, Grécia, começou desta maneira (Atos 17:1-9; 1 Tessalonicenses 1:1-10).

Estágio 2: Estabelecimento/Formação
A igreja cresce mais forte quando os obreiros transmitem o ensino prático ao cristão e treinam líderes. O objetivo é formar líderes que se multipliquem e sirvam suas famílias e a congregação local. A igreja na Ilha de Creta amadureceu desta maneira (Tito 1-3).

Estágio 3: Autoridade/Submissão
A igreja em uma determinada nação se organiza para governar e apoiar seus “braços” de modo a evangelizar, sensível às necessidades das culturas regionais, com o objetivo de multiplicar as assembléias locais e implantar novas igrejas. Juntas, todas essas igrejas se transformam em um movimento nacional para alcançar o país inteiro. A igreja em Éfeso, Turquia, se desenvolveu e multiplicou desta maneira (Atos 19-20).

Estágio 4: Enviar
A igreja em uma determinada nação, já organizada, amplia os horizontes para outras nações e povos de outras culturas e línguas. O objetivo é enviar obreiros em missões no exterior para expandir o reino de Deus em países onde o evangelho de Cristo tem pouca expressão ou é reprimido. Na obediência ao Espírito Santo, a igreja de Antioquia, Síria, tornou-se tal igreja quando Paulo e Barnabé foram para lá enviados (Atos 13:1-4).

 

Cada igreja prega o evangelho dentro de uma esfera de influência crescente, enquanto se movimenta pelos quatro estágios. E virá o dia em que “este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim” (Mateus 24:14). O espírito da Igreja do Evangelho Quadrangular é amar a unidade. Essa atitude permite criar e solidificar relacionamentos, como manda o Novo Testamento. Agindo assim, nós cumprimos o mandamento de nosso Senhor Jesus Cristo, glorificamos a Deus e avançamos no Seu reino.